Cantor Eduardo Costa está sendo investigado por estelionato

Por Revista Encontro 15/05/2018 - 07:37 hs

Cantor Eduardo Costa está sendo investigado por estelionato
cantor sertanejo Eduardo Costa está sendo acusado de estelionato na compra da mansão de R$ 9 milhõe

Segundo matéria divulgada pelo jornal SBT Brasil, do SBT/Alterosa, no sábado, dia 12 de maio, o cantor sertanejo mineiro Edson Vander da Costa Batista, mais conhecido como Eduardo Costa, de 38 anos, está sendo investigado pela Polícia Civil (PC) por suspeita de estelionato, em decorrência de uma negociação imobiliária.

Conforme documento obtido pelo programa, em 2015, o músico adquiriu uma mansão na região da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), no valor de R$ 9 milhões,  sendo que ele pagou R$ 2 milhões em dinheiro e o restante foi pago com uma lancha, uma Ferrari e um outro imóvel, situado na cidade de Capitólio, no sul de Minas, às margens do lago de Furnas. O problema é que esta mansão que entrou na "jogada", e que é avaliada em quase R$ 6 milhões, vem sendo questionada pelo Ministério Público Federal (MPF) desde 2013, já que parte dela teria sido construída numa área de preservação permamente.

Em 2017, a Justiça Federal de Minas Gerais já havia decidido que parte do terreno da casa de Eduardo Costa em Capitólio deveria ser entregue à Furnas Centrais Elétricas S/A. Além disso, a decisão incluía a demolição de parte do imóvel, incluindo as suítes localizadas no térreo e uma piscina que fica no segundo andar.

Instagram/eduardocosta/Reprodução
A casa de Eduardo Costa em Capitólio (MG) não poderia ter sido usada na negociação da mansão em BH, por fazer parte de um processo de desapropriação movido pelo MPF (foto: Instagram/eduardocosta/Reprodução)


O boletim de ocorrência da PC divulgado pelo jornal SBT Brasil mostra que o sertanejo teria cometido estelionato ao esconder essas informações dos novos donos da mansão que se encontra na Pampulha. A investigação teria partido do próprio casal que negociou o imóvel, que está pedindo, na justiça, a anulação do contrato e o pagamento de danos morais no valor de cerca de R$ 10 mil.

Em nota enviada ao SBT/Alterosa, a assessoria de Eduardo Costa disse que as acusações são "injustificadas, falaciosas, e que os fatos ainda não foram esclarecidos". O artista, intérprete de músicas de sucesso como Sapequinha e Pronto Falei, também não comentou o assunto em suas redes sociais, incluindo o Instagram, onde costuma publicar inúmeros Stories.