Geraldo Resende pede para não ser cobrado por eleitores de outros deputados

Parlamentar foi marcado por jornalista esportivo em publicação no Faceboook, mas parece não ter gostado da postagem

Por Jornal da Nova 05/10/2017 - 07:10 hs
Foto: Reprodução/Facebook

Há quatro mandatos seguidos como representante de MS na Câmara dos Deputados, o deputado federal Geraldo Resende (PSDB) não economizou nas palavras ao pedir para não ser cobrado por eleitores de outros parlamentares. A declaração foi uma resposta à postagem do jornalista esportivo Rogério Vidmantas, no Facebook, que marcou o tucano e todos outros deputados federais por Mato Grosso do Sul. 

A postagem em questão se trata de um compartilhamento da página do também jornalista Ricardo Boechat, que comenta a divergência no Congresso Nacional sobre as propostas que alteram as regras da eleição legislativa e que criam o “fundo público bilionário para financiamento das campanhas”. 

No compartilhamento, além de marcar os deputados de MS, Rogério Vidmantas, que é de Dourados – mesmo domicílio eleitoral de Geraldo Resende –, escreve: “Ouçam o comentário de Ricardo Boechat e, por favor, se virem com vossas campanhas. Eu já gasto muita grana com o pouco serviço que fazem - a nosso favor, claro. Agradecido!!!“. 

A resposta de Geraldo Resende foi quase imediata: “gostaria de receber sua visita ou de visita-lo. Dar as informações adequadas para vc não cometer injustiça acerca de meus mandatos. Em relação a Dourados e ao estado. Não aceito esta afirmação: "eu já gasto muita grana com o pouco serviço que fazem - a nosso favor, claro". Repilo-a com veemência! Cobre do parlamentar em quem vc votou...de mim não”.

A réplica do douradense veio na sequencia:  “Caro (sem trocadilho) Deputado, como assim "cobre do parlamentar em quem vc votou, de mim não"? Talvez o Sr não tenha percebido, mas não é deputado apenas dos eleitores do Geraldo Resende, é deputado de TODO o Mato Grosso do Sul e no caso eu também estou inserido, independente de quem eu tenha votado ou não. Inclusive eu cobro aquele que votei e em 2018 devo procurar nova opção. Até porque, o salário que o Sr recebe com benefícios que nós mortais nem sonhamos são pagos com os meus, os nossos impostos, e também não interessa se sou um petralha mordatela esquerdista vagabundo. Pagamos os salários do Bolsonaro, do Marun, do Zeca do PT e o dos deputados comunistas comedores de criancinhas. E nem posso reclamar se é muita grana e ela é merecida. Quanto a receber sua visita, portas sempre abertas e ainda faço (bem) café. Quem sabe consiga me convencer que fez o certo ao votar pela reforma trabalhista que vai prejudicar os trabalhadores em médio e longo prazo ou que o Temer é a Madre Tereza de Calcutá”.